domingo, 9 de abril de 2017

    Do amor ao ódio

O ódio e o amor!
São como eternos aliados.
Em uma simples harmonia
A dividir o mesmo espaço,
No coração de um poeta,
Perdidamente apaixonado,
Que não sabe o que é o ódio,
Pois desde sempre foi amado,

O amor [...]
mesmo sincero
E por vezes avassalador,
É um sentimento magnífico
Que quando não reconhecido
É rapidamente consumido
E friamente destruido
Por raiva, ódio, e rancor.

Pois quando desprezado, pisado e regeitado,
Um poeta que sempre foi amado,
Torna-se então um amante solitário,
Frio e sem sentimento e de coração amargurado,

E pôr no "amor" não mais acredita
Por onde agora o seu corpo passar
Suas palavras só iram falar
De, ódio, tristeza, solidão e dor...



Nenhum comentário:

Postar um comentário

✍ Em momentos difíceis; Eu queria chorar com a facilidade de uma criança, Que quando facilmente consegui o que deseja,  Sorrir enxu...